CONCORRÊNCIA DESLEAL

Como combater esse mal?

Depoimento de um cliente desesperado com a situação:

“Não está fácil assumir tantos riscos e contas a pagar, e ainda estar vulnerável aos desmandos das fiscalizações. No varejo especificamente, quem tem lojas em shopping, sofre demais! Buscando faturamentos maiores, assumimos custos de ocupação absurdos, estoques milionários que caem de moda. Enfrentamos questões trabalhistas de funcionários por funcionar 363 dias/ano, 12h/dia. A questão é que a maioria dos empresários recorre à sonegação para viabilizar sua operação. Meu sentimento é de estar sozinho nessa empreitada… Nenhum cliente, nenhum funcionário, nenhum fornecedor, nenhum empreendedor de shopping valoriza o bem que fazemos através de tanto recolhimento de impostos. Acho que temos que iniciar algum tipo de movimento, mas como boa parte dos empresários dá um jeito… Ninguém se mexe! Quem sabe alguma entidade ligada aos contadores!? Sei lá! Só se fala em corrupção, e tenho que conviver com concorrentes que sonegam à vontade. Tem que ser assim? Até quando? Cadê a fiscalização para inibir esses casos? Sonhei em ficar numa posição mais séria, comprei a ideia de não ter que enfrentar problemas fiscais e agora estou desesperado…”

“A concorrência desleal traduz-se, portanto, em um desvio de conduta moral, com violação dos princípios da honestidade comercial, da lealdade, dos bons costumes e da boa fé, e não está presente no simples alcance dos consumidores, mas sim na maneira como se busca esse fim”. (ALMEIDA, 2004, p.125).

Em mais de 30 anos trabalhando com contabilidade, pensei que não iria ver tamanha falta de escrúpulos de nossa nação. Digo nação, porque já não consigo mais distinguir onde começou toda essa confusão.

Quantos empresários estavam na Avenida Paulista, apoiando os protestos da Associação Comercial? E depois se descobre problemas nos frigoríficos, aonde vamos parar? O Brasil é notícia no mundo inteiro, uma nação que envergonha!

Preciso continuar acreditando que um dia o cruzamento da Receita Federal vai acontecer. E que os empresários vão entender que, só há uma forma de serem competitivos, trabalhando com qualidade e recolhendo seus tributos.

Preciso acreditar que os governantes irão fazer a reforma fiscal, e irão aplicar os recursos no país com responsabilidade, e assim os empresários, terão impostos mais justos. Se conseguirmos combater a concorrência desleal, a conta vai fechar e todos nós seremos beneficiados.

Marciléia Gorgônio Reis Criscuolo é técnica em contabilidade, formada em economia, com MBA em gestão empresarial, e participa do time da empresa há 36 anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *